Categoria: Textos

Quando me chamaram de gorda

  • Categorias: Comportamento, Textos
  • 31 maio

    Inseguranças-corpo-gorda foto: sabrina brun

    Oi, pinups! Muita gente gostou do último vídeo que postei falando sobre corpo e inseguranças, então decidi compartilhar um pouco do processo de como aprendi a valorizar meu corpo e como lidei com críticas sobre minha aparência.

    Desde pequena recebi influências sobre como pensar sobre mim mesma. Sinto que até hoje ainda somos julgadas muitas vezes pelo nosso exterior. Fazia dietas bobinhas quando tinha uns 9 anos -nem precisava, afinal eu era criança-. Cresci com alguns comentários maldosos, mas que apesar de doer na época, me tornaram muito mais forte e segura de mim mesma, mas nem sempre foi assim.

    Quando eu me mudei para o Brasil, após morar nos EUA por cerca de 6 anos, eu tinha 11 anos, e uma das coisas que mexeu comigo era a pré-adolescência. Já falei um pouco sobre o assunto em um vídeo meu, mas hoje quero compartilhar um pouco mais. Uma das primeiras coisas que eu escutei de uma mulher mais velha quando voltei foi: nossa, como você engordou!

    foto-2008 Fotos de 2008 (quando o negócio era tirar foto no espelho e fazer bico…)

    Bem no momento em que a opinião dos outros é levada mais a sério, e ainda vindo de uma pessoa mais velha. Eu fiquei acabada. Dali em diante tudo que eu escutava dos outros eu levava para mim, ficava magoada e extremamente insegura. Não sou nenhuma expert para falar do assunto, nem passei grandes traumas, mas com certeza posso compartilhar que já tive o sentimento de ser colocada para baixo e acreditar que meu valor estava no exterior, e pior, era baseado nas críticas dos outros.

    Hoje vejo que aquela mulher obviamente não tinha noção do quanto um comentário tão besta poderia me afetar ou me marcar pelos anos seguintes.

    Depois do colégio eu comecei a criar uma auto estima e confiança própria. Parei de ligar para muita coisa, sendo uma delas o corpo ideal. Não que eu não me importe, mas hoje em dia me sinto até mais bonita e com mais vontade de me cuidar. Não para agradar os outros, mas sim para mim mesma. EU me faço bem, sabendo que no final do dia o que importa é minha felicidade.

    insegurança-corpo Foto desse ano (uma das primeiras vezes usando biquíni sem shorts ou blusa)

    Não sou perfeita, mas também não estou buscando ser. 

    O que eu quero que você que está lendo saiba é que os tempos mudam. As pessoas mudam. Nada é eterno nesse mundo, e uma coisa que é certo é que você terá que viver com você mesma pelo resto da vida. Então a melhor coisa é relaxar, aprender a lidar com as críticas e não dar uma importância grande para elas.

    O mais importante é ser feliz com você mesma. Eu sei que falar é muito fácil, mas comece aos poucos, mudando seus pensamentos negativos. Espero que ajude vocês! Saiba que cada uma de vocês é lindaaaaa, da maneira como você é (com barriguinha, estrias, acima do peso, nariz grande, olheiras, etc.).

    Um beijo e até a próxima! :)

    Conquistei eu mesma

  • Categorias: Comportamento, Relacionamentos, Textos
  • 1 fev

    renata-castilho clique: sabrina brun

    Hoje, meu bem, como é bom eu ter te vencido. A tempestade passou. E a calmaria veio à tona. E a tranquilidade deu passos largos para me alcançar. Demorou, mas conquistei, de uma vez por todas, meu próprio coração. Não permitindo intrusos desmerecidos entrarem para autossatisfazerem seus egos, ou então só por diversão criarem uma bagunça naquilo que levou tempo para organizar.

    Meu bem, você foi embora, como diz a letra de uma música por aí, para nunca mais voltar. Mas dessa vez fui eu quem te permitiu ir embora de vez. Sem deixar resquícios de sentimentos controversos. Só a leveza da alma é capaz de dizer quando foi que nós partimos caminhos de verdade, porque dar adeus sem soltar a mão não adianta. Sem cortar os laços. Sem dar um passo pra frente e não sentir a tentação de olhar para trás.

    Meu bem, você foi embora, e eu, te desejo o melhor. Sabendo que quando nós queremos o bem do outro, a verdadeira superação foi conquistada. E não foi fácil, só no final eu percebi o estrago que os poucos momentos que vivenciamos me causou. O estrago que provocou dentro de mim me deu olhos para entender o Luto e melancolia de Freud, e ainda mais visão para quem eu verdadeiramente quero ser. Aprendi a saborear a melancolia de uma forma enriquecedora e não destruidora.

    E agora depois de tanto tempo, me desprendi da antiga pessoa frágil e solitária que fui.

    Meu bem, pode ir embora. Dessa vez eu deixo. Dessa vez eu quero. Dessa vez eu consigo.

     

    Retrospectiva 2015

  • Categorias: Blog, Textos
  • 30 dez

    renata-castilho-2015

    Ainda não caiu a ficha que esse ano passou, foi novidade atrás de novidade e acho que por essa razão eu nem vi o quão rápido tudo aconteceu. Esse ano foi lindo em muitas formas. No canal ultrapassamos a meta de 100k e 200k inscritos no mesmo ano! Tive a oportunidade de conhecer leitoras e blogueiras amigas nos encontrinhos. Trabalhei com marcas que antes só sonhava em ter contato. Viajei. Saí da minha zona de conforto. Criei uma rotina no blog e me dediquei. Tive recaídas, e males de saúde que me afastaram, mas termino o ano com o sentimento de ter dado o meu melhor. Fiz coisas que jurava que nunca faria. Abri uma microempresa. Completei a meta de comprar uma câmera melhor. Entrei para a “casa” dos 20 e dei adeus aos anos de adolescente. Poucos momentos ruins. Um ano bem aproveitado. Com esperança e animada para o novo ano.

    E vocês, como foi o ano?

    O nosso começo

  • Categorias: Comportamento, Relacionamentos, Textos
  • 20 nov

    fotografia-flores-tumblr

    Clique: Sabrina Brun

    Hoje bateu saudades do nosso começo. Vai dizer que esqueceu? Foi tanto drama, falta de amor e sufoco no final… mas o início. O nosso começo.

    Se me perguntassem se eu me arrependo? Não, nem um pouco. A dor foi tão grande que parecia que eu não iria suportar, mas suportei, e agora me pego pensando no nosso primeiro dia juntos.

    Se eu chorei? Sim. Se eu senti um buraco se cavando dentro de mim quando você disse adeus? Com certeza. Mas isso tudo não foi o suficiente para sufocar a nossa primeira conversa, seu rosto vermelho quando conversamos pela primeira vez, nosso primeiro beijo, nossa primeira dança…

    Sinto que foi um grande passo, eu, toda tímida com receio de começar coisas novas, e você, confiante mas distante. Tudo tem um começo, meio e fim? É isso que escutei falar. Seria muita ingenuidade pedir pra ficar só na parte boa? Ali quando você disse que gostava como meu nariz enrugava quando eu ria? Ou quando beijamos na chuva por não ter onde se abrigar? Nosso abraço apertado implorando pra ficar quando você se despedia?

    Mas como todo túnel tem um fim, o nosso chegou, meu amor. Nosso amor teve um ponto final. Hoje não fico me perturbando em relembrar como as coisas desandaram. Já fiz demais disso, e tenho que dizer: cansei. Cansei de te esperar. Cansei de sentir tanto. Precisava um pouco de paz, entende? Um pouco de ar fresco e novas conversas.

    Me desculpa se te deixei pra trás, mas como é bom respirar fundo e sentir a alma leve. Isso não tem preço. E quando bater aquela saudadezinha, vou te lembrar pelo começo, sem receios, mas para sempre ter o gostinho de quero mais que você deixou.

    Rápido demais

  • Categorias: Comportamento, Relacionamentos, Textos
  • 23 out

    renata-castilho

    Clique: Sabrina Brun

    Música sugerida para leitura: Daughter – Candles

    Às vezes bate essa loucura de se apaixonar rápido demais. Loucura mesmo. Por você eu me apaixonei rápido demais. Infelizmente ou felizmente só fui perceber isso depois do ocorrido. Depois de cuspir palavras precipitadas e sentimentos prematuros. Mas, e quem nunca fez isso? Chorou mágoas a alguém que não moveu um dedo para receber sua admiração.

    Não sei até que ponto nós fomos destino ou falha no julgamento. Há uma linha tênue que segura as pontas. Um caminho inevitável ou um simples momento de vulnerabilidade. E como corações partidos têm vínculo direto com mentes viajantes, a minha deu muitas voltas por aí.

    Gosto de acreditar que tudo teve um motivo, e você foi para o meu aprendizado. Aprender a entender que meu amor precisa ser conquistado. Aprender que sou minha melhor amiga. Aprender que momentos vividos com pessoas intensas mudam nossa visão de mundo. Aprender que mesmo com a cabeça confusa a gente deve manter a esperança de algum dia colocar as peças no lugar.

    Então saiba que hoje eu estou tão tranquila. Mais tranquila que nunca. E tem sido bom, todo esse momento pra descansar um pouco, pensar em outras coisas. Não tem coisa melhor que acordar e dizer que a mente já não sofre, que as coisas estão encaixando. Que eu me permiti a ser feliz.

    Gostou? Compartilha! 

    Página 1 de 512345